POSTAGEM 78: A canção do exílio drummondiana

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS


Observe o poema abaixo. Nele, Carlos Drummond de Andrade reescreve a famosa “Canção do Exílio” de Gonçalves Dias, na qual o poeta romântico idealiza a terra natal distante:

NOVA CANÇÃO DO EXÍLIO
A Josué Montello

Um sabiá
na palmeira, longe.
Estas aves cantam
um outro canto.

O céu cintila
sobre flores úmidas.
Vozes na mata,
e o maior amor.

Só, na noite,
seria feliz:
um sabiá,
na palmeira, longe.

Onde é tudo belo
e fantástico,
só, na noite,
seria feliz.
(Um sabiá,
na palmeira, longe.)

Ainda um grito de vida e
voltar
para onde é tudo belo
e fantástico:
a palmeira, o sabiá,
o longe.



1. (UNICAMP-SP) – Além de expatriação, a palavra exílio significa também “lugar longínquo” e “isolamento do convívio social”. Quais palavras expressam estes dois últimos significados no poema de Drummond?
RESPOSTA POSSÍVEL:A ideia de exílio como “lugar longínquo” está presente no termo longe, que aparece no poema seja como advérbio (estrofes 1, 3 e 4), seja como substantivo (estrofe 5). Já o sentido de “isolamento do convívio social” se encontra no adjetivo só (estrofes 3 e 4).

2. (UNICAMP-SP) – Como o eu lírico imagina o lugar para onde quer voltar?

RESPOSTA POSSÍVEL:
Ao caracterizar o local para onde quer voltar como um lugar “onde é tudo belo / e fantástico”, o eu lírico imagina-o como fora do comum, ideal, pródigo no que se refere aos aspectos positivos ligados à Natureza (“O céu cintila”) e à emotividade (“maior amor”). Eleva-o, pois, a um nível mítico ou arquetípico, cujo caráter ideal e inalcançável é resumido na expressão “o longe”, que fecha o poema.


 
l