POSTAGEM 18: As raízes portuguesas da Literatura Brasileira (Trovadorismo)

Olá internauta. Faltam 82 dias para o ENEM e essa é a nossa postagem de número 18. A partir de hoje, vamos viajar pelos principais momentos da Literatura, a começar pelas nossas raízes portuguesas (Trovadorismo, Humanismo, Classicismo). Em seguida, partiremos para a os momentos importantes no Brasil (Literatura de Informação e Catequética, Barroco, Arcadismo, Romantismo, Realismo, Naturalismo, Parnasianismo, Simbolismo, Pré-Modernismo, Modernismo e Tendências contemporâneas).

E para dar mais dinamismo nesta segunda etapa do nosso curso, a cada dia da semana vamos explorar algo diferente dentro destes temas. Na segunda e na terça, vamos falar um pouco de teoria, ou seja, apresentar de maneira sucinta a escola (ou escolas) em questão, entender seus contextos histórico e literário, suas características, seus autores etc. Na quarta, comentaremos um ou dois exercícios que já caíram no ENEM, para que o candidato tenha noção de como o assunto já foi cobrado na prova. Na quinta, vamos refletir sobre uma obra de outra arte (pintura, escultura, arquitetura) que diz respeito ao movimento que estamos estudando. A sexta será dedicada à música, já que vários tópicos da Literatura se projetam nas nossas canções populares. Sábado teremos sugestão de filmes que ampliarão nosso entendimento sobre o contexto histórico, obra ou autor específico. No domingo, teremos a seção “Algo mais”, quando aprofundaremos algum tópico do assunto da semana. E periodicamente, também no domingo, teremos uma lista de exercícios inéditos que nos ajudarão a rever o conteúdo.

Pois vamos lá:


POR DENTRO DO TROVADORISMO

Trovadorismo: Período que se inicia no século XII e se estende até o XV e reúne os primeiros registros poéticos da língua portuguesa.

Contexto histórico: Corresponde à Idade Média, época em que predominava um sistema político, social e econômico denominado feudalismo, cujas principais características são a descentralização política, a imobilidade social e a autosuficiência econômica.

Contexto religioso: Prevalece o catolicismo europeu teocêntrico (que considera Deus como o centro do universo).

Principais temáticas: Há duas vertentes básicas: a lírica e a satírica. Dentro das cantigas líricas (que tratam de amores impossíveis ou inconclusos), encontram-se as cantigas de amor e de amigo. Dentro das cantigas satíricas (que expressam críticas a personalidades ou autoridades), estão as de escárnio e as de maldizer.

Autoria: Todas as cantigas são de autoria masculina (os trovadores, que são nobres europeus), mesmo que, em certas situações, o eu-lírico (sujeito que expressa os sentimentos no poema) se apresente como uma mulher.

Cantigas de amor: Mostram o sentimento amoroso do poeta a uma bem amada de difícil acesso, em razão, sobretudo, das diferenças sociais.

Cantigas de amigo: É a mulher quem sofre pela ausência do bem amado. Por meio de um eu-lírico feminino ela denuncia o abandono a que foi submetida a outras mulheres ou à natureza.

Cantigas de escárnio e maldizer: Nas cantigas de maldizer há exposição clara do destinatário e as críticas são  diretas, enquanto as de escárnio apresentam insinuações e críticas ocultas.

Prosa: O principal gênero em prosa do período é a novela de cavalaria (uma longa narrtativa protagonizada por heróis que se caracterizam por virtudes nobres e guerreiras.

ADAPTADO DE: Guia do Estudante 2012. São Paulo: Editora Abril, 2011.

Para ampliar seus conhecimentos sobre o assunto, aproveite os slides abaixo:

 



 
l