POSTAGEM 20: "Um amor assim delicado"

Olá internauta. Faltam 80 dias para o ENEM e essa é a nossa postagem de número 20. Hoje vamos comentar dois exercícios sobre o Trovadorismo português que já foram cobrados no ENEM. Vamos lá:

QUESTÃO 01 (ENEM)
Leia atentamente o trecho de uma musica de Caetano Veloso e, em seguida, assinale a alternativa correta.

Um amor assim delicado
Você pega e despreza
Não devia ter despertado
Ajoelha e não reza
Dessa coisa que mete medo
Pela sua grandeza
Não sou o único culpado
Disso eu tenho a certeza
Princesa
Surpresa
Você me arrasou
Serpente
Nem sente que me envenenou
Senhora, e agora
Me diga onde eu vou
Senhora
Serpente
Princesa (...)

a) O texto remete ao lirismo trovadoresco presente nas cantigas de amigo.
b) O texto apresenta uma clara postura de vassalagem amorosa.
c) O texto é moderno, com referência clara as raízes da poesia palaciana.
d) A presença do vocativo “Senhora” remete ao amor carnal, típico do período feudal.
e) O homem posiciona-se como um herói perante a mulher amada.

GABARITO: B
COMENTÁRIO DO LÉS: Uma questão facílima cobrada pelo ENEM. A vassalagem amorosa pode ser constatada no momento em que o eu-lírico refere-se à sua amada através dos vocativos “Senhora” e “Princesa”. Neste caso, ele se declara servo (vassalo) da mulher que ama. Podemos constatar também a coita, ou sofrimento amoroso, principalmente nos versos “Um amor assim delicado / Você pega e despreza” e “Você me arrasou”.

ANTES DE CONTINUAR, QUE TAL ASSISTIR A UM VÍDEO COM A MÚSICA?

QUESTÃO 02 (ENEM)
As produções culturais abaixo foram realizadas em momentos distintos, mas possuem elementos que as aproximam, sobre elas marque o item errado:

TEXTO I: ATRÁS DA PORTA
Quando olhaste bem nos olhos meus
E o teu olhar era de adeus
Juro que não acreditei
Eu te estranhei
Me debrucei sobre o teu corpo e duvidei
E me arrastei e te arranhei
E me agarrei nos teus cabelos
Nos teus pelos
Teu pijama
Nos teus pés
Ao pé da cama      
Sem carinho, sem coberta
No tapete atrás da porta
Reclamei baixinho
Dei pra maldizer o nosso lar
Pra sujar teu nome, te humilhar
E me entregar a qualquer preço
Te adorando pelo avesso
Pra mostrar que inda sou tua
Só pra provar que inda sou tua...

(Chico Buarque & Francis Hime)

TEXTO II
Ondas do mar de Vigo
se vistes meu amigo?
E ai Deus se vira logo!
Ondas do mar agitado
se vistes meu amado?
E ai Deus, se vira logo!
Se vistes meu amigo
por quem eu suspiro?
E ai Deus, se vira logo!        
Se vistes meu amado,
por quem tenho muito carinho
E ai Deus, se vira logo!
Se vistes meu amado,
por quem tenho muito carinho
E ai Deus, se vira logo!

(Martim Codax)


a) Um dos pontos fundamentais que torna as duas produções acima comuns seria a voz que expressa o seu sentimento que em ambos os casos é feminina.
b) O texto II é uma típica cantiga de amigo do Trovadorismo cuja origem popular associa-se escassez vocabular, e à repetição insistente de versos (refrão).
c) Em ambos os casos o elemento masculino instaurou uma espécie de crise no interior do universo feminino e, ao que tudo indica, somente ele poderia trazer o equilíbrio daquela que sofre.
d) No texto I, a linguagem apresenta uma maior capacidade de articulação dos recursos poéticos como, por exemplo, a metáfora, aspecto que o torna muito mais polissêmico que o outro.
e) O objeto amado do texto II passou a ser venerado de outra maneira (“pelo avesso”) com o nítido intuito de trazê-lo para a antiga comunhão do casal.

GABARITO: E
COMENTÁRIO DO LÉS: O item errado aparece na alternativa E. A expressão “pelo avesso” aparece no texto I e não no texto II. Na cantiga trovadoresca, o sujeito poético (no caso, uma mulher) reclama a saudade de seu amigo (namorado ou amante). Não existe mudança de sentimento, embora seja claro o intuito de trazer o amado para a antiga comunhão do casal.


 
l