POSTAGEM 33: Os pastores apaixonados de Minas (Slides 2011)

Olá internauta. Faltam 67 dias para o ENEM e essa é a nossa postagem de número 33. O nosso assunto hoje é o Arcadismo, último movimento da Literatura Colonial brasileira. Vamos lá:

POR DENTRO DO ARCADISMO
Início do movimento: A fundação da academia literária denominada Arcádia Lusitana, em Lisboa, em 1756, inaugura o Arcadismo, também chamado de Neoclassicismo, em Portugal.

Marco inicial no Brasil: O movimento ê introduzido no Brasil pelo poeta mineiro Cláudio Manuel da Costa, com a publicação de Obras Poéticas, em 1768.

Contexto histórico: O Iluminismo é a corrente de pensamento que predomina na Europa durante o século XVIll, conhecido como o “século das luzes". O nome ê uma referência ao predomínio da razão (identificada como a luz) sobre a fé, o misticismo. No Brasil, a independência dos Estados Unidos (1779) e os ideais da Revolução Francesa (1789) motivam os jovens poetas árcades de Vila Rica (atual Ouro Preto) a se rebelar contra o domínio português e a organizar a Inconfidência Mineira (1789).

Principais temáticas: Os poetas buscam a harmonia com a natureza e exaltam as belezas do campo, em contraposição ã vida nas cidades. Para elES, só o campo devolveria a paz de espírito e a razão humanas. Exploram também temas em latim, como carpe diem (viver o dia intensamente).

“Poetas pastores”: Muitos poetas criam pseudônimos, assumindo personalidades de antigos pastores gregos e latinos. Bocage, por exemplo, escreve odes, canções e sonetos como Elmano Sadino; Cláudio Manuel da Costa, um dos líderes da Inconfidência Mineira, é Glauceste Satúrnio; e Tomás Antônio Gonzaga assina como Dirceu. É comum também a adoção de musas inspiradoras. A mais conhecida é Marília, que inspirou Gonzaga a escrever os versos líricos de Marília de Dirceu, publicados na obra Liras.

"Marília de Dirceu", de Alberto Guignard
Características formais importantes: No Brasil, o soneto ê mais flexível, principalmente em relação ao esquema de rimas. Bocage, entretanto, ao utilizar Camões como modelo, cria poemas no estilo clássico, em sonetos decassílabos (de dez sílabas poéticas).

ADAPTADO DE: Guia do Estudante 2011, Editora Abril

Para você, alguns slides sobre o assunto:


 
l