Oswaldo que amava Chico que amava Carlos que amava toda a Quadrilha

Eu poderia falar da função poética da linguagem, das aliterações e assonâncias, dos trocadilhos, das relações intertextuais e de mais um monte de coisas... Mas nada que eu dissesse seria razoável. Três gênios da nossa cultura juntos: Carlos, Chico e Oswaldo...



Oswaldo Montenegro





Flor da idade 
Chico Buarque/1973
Para o filme Vai trabalhar vagabundo e para a peça Gota d´água de Chico Buarque e Paulo Pontes


A gente faz hora, faz fila na vila do meio-dia
Pra ver Maria
A gente almoça e só se coça e se roça e só se vicia
A porta dela não tem tramela
A janela é sem gelosia
Nem desconfia
Ai, a primeira festa, a primeira fresta, o primeiro amor

Na hora certa, a casa aberta, o pijama aberto, a família
A armadilha
A mesa posta de peixe, deixa um cheirinho da sua filha
Ela vive parada no sucesso do rádio de pilha
Que maravilha
Ai, o primeiro copo, o primeiro corpo, o primeiro amor

Vê passar ela, como dança, balança, avança e recua
A gente sua
A roupa suja da cuja se lava no meio da rua
Despudorada, dada, à danada agrada andar seminua
E continua
Ai, a primeira dama, o primeiro drama, o primeiro amor

Carlos amava Dora que amava Lia que amava Léa que amava Paulo
Que amava Juca que amava Dora que amava
Carlos que amava Dora
Que amava Rita que amava Dito que amava Rita que amava Dito que amava Rita que amava
Carlos amava Dora que amava Pedro que amava tanto que amava
a filha que amava Carlos que amava Dora que amava toda a quadrilha


Quadrilha
Carlos Drummond de Andrade

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi para o Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história.


Não deixe de comentar e avaliar esta postagem. Precisamos SEMPRE do seu retorno. Desde já agradecemos.


Iracema (Lenda do Ceará), do escritor José de Alencar

O vídeo abaixo mostra um breve resumo do enredo de "Iracema", José de Alencar. Na animação também consta uma biografia do autor e uma curta análise da obra.

Expoente do romance indianista, Iracema mostra a história da virgem dos lábios de mel e seu amado português, o guerreiro Martim. O livro é uma resposta de Alencar para a pergunta: "Quando e onde o Brasil começou?". Segundo ele, o Brasil começou quando aqui nasceu o primeiro brasileiro, fruto da miscigenação entre brancos e índios. Esse primeiro brasileiro é Moacir, filho de Iracema e Martim. E o país nasceu com ele, na cidade de Macejana, estado do Ceará, de onde veio o escritor.




Não deixe de comentar e avaliar esta postagem. Precisamos SEMPRE do seu retorno. Desde já agradecemos.


Slides sobre o Romantismo

Abaixo, os slides sobre o Romantismo...






Não deixe de comentar e avaliar esta postagem. Precisamos SEMPRE do seu retorno. Desde já agradecemos.


 
l